O Segmento logístico no Brasil está atravessando um cenário de mudanças. Um novo mundo marcado por startups com crescimentos exponenciais e uma corrida contínua por inovação dominam o mercado. Em meio a isso, surge um modelo de negócio diferente, onde empresa e entregador se conectam através de uma plataforma multiveículos para entregas.

A Super Ideia

A Redefrete chegou para revolucionar e simplificar a contratação de fretes. Seja por aplicativo ou website o cliente solicita a coleta e conforme a sua necessidade indica qual o tipo de veículo será necessário, bike, moto, carro, van ou caminhão. Em seguida um ou mais destinos de entregas são adicionados no pedido. Automaticamente o entregador mais próximo é localizado. O entregador então faz a coleta e o cliente passa a acompanhar a entrega em tempo real.

A solução para entregas é a primeira no Brasil com o serviço multiveículos On Demand, ou seja, é possível contratar desde uma bicicleta até um caminhão para cargas volumosas de forma ágil e segura. Além disso, os serviços não ficam limitados somente a empresas, pessoas físicas também podem entregar ou retirar qualquer coisa.

“Percebi que já existia muito do mesmo. Plataformas que prometem entregar de tudo oferecendo apenas o serviço de motoboys e carros”, afirma Luciano de Moraes, Ceo da Redefrete.

A Sacada

Outro ponto identificado pela Redefrete foi a desbancarização dos entregadores.  Em um estudo feito para o projeto foi visto que 80% dos profissionais no Brasil que trabalham com entregas não possuem nenhum vínculo com instituições bancárias. Diante disso, foi criado em parceria com a empresa Alelo um cartão pré-pago com as funções de débito, crédito e também com a possibilidade de sacar o dinheiro das entregas feitas. Tudo isso por um custo quase zero para o profissional. Um serviço exclusivo disponível para todas as categorias de entregadores.

Economia.

O destaque fica por conta dos valores. As solicitações de frete podem ficar até 25% mais baratas comparadas a concorrência. Outra vantagem, são os descontos na contratação de serviços como o Frete Retorno, que incentiva o usuário a utilizar um entregador que voltaria para o seu destino com o baú vazio. Evitando custos e otimizando o tempo deste profissional.

Tecnologia.

Em qualquer formato a navegação é rápida e funcional. Todos os pedidos são rastreados em tempo real e evidenciados na coleta e entrega. Na versão mobile é possível efetuar pagamentos por QR Code, através de points (créditos) comprados antecipadamente. Uma facilidade para quem não utiliza cartão de crédito.

Como surgiu?

A Redefrete é uma ideia do paulistano Luciano Moraes, ex – PMO do programa inovaBra (1º Ciclo), que foi consolidada em agosto de 2016 com o apoio de alguns investidores de peso que acreditam no potencial e força da empresa.

O empresário enxergou uma brecha no mercado logístico de entregas, no qual muitas empresas com o mesmo modelo de negócio (entregas por aplicativo) acabam limitando suas atividades para clientes como restaurantes, farmácias e conveniências devido a contratação apenas de veículos pequenos, como motocicletas e carros.

O diferencial da startup é a flexibilidade na entrega, que possibilita escolher o tipo de veículo mais adequado para cada necessidade. E também a valorização do prestador de serviço, que recebem uma série de benefícios quando utilizam ativamente a plataforma. Todos os recursos e descontos devem diminuir os custos do entregador autônomo acarretando em um faturamento maior para o mesmo.

Futuro

Recentemente a Redefrete iniciou operações de entrega com o Grupo Pão de Açúcar, atendendo as atividades de Entrega a domicílio e Clube Viva Vinhos. Em paralelo está evoluindo na parceria com o Grupo Via Varejo. O objetivo para o primeiro semestre de 2019 é disponibilizar a plataforma para o pequeno e médio e-commerce, oferecendo tecnologia aliada à custos bem atrativos. Há uma constante atenção para melhorias na plataforma e para a retenção de clientes e entregadores.

Em ritmo acelerado a equipe já está habilitando entregadores para o estado e capital de São Paulo. A expectativa é que até o fim do ano 10.000 entregadores estejam ativos trabalhando em parceria com a empresa.